Fotos de crianças e a privacidade na Alemanha
Coluna Cheguei. E agora?

Fotos de crianças e a privacidade na Alemanha

Larissa Larissa da Costa
8 de dezembro de 2017
648
0

Fotografar crianças na Alemanha é um tema muito sério por causa da paranóia com a privacidade de dados. Os alemães, em geral, são muito ressabiados com redes sociais e contra a exposição da sua vida pessoal. Prezam ao extremo a sua privacidade, compartilhando momentos familiares somente com pessoas íntimas.

Fotografam sim seus filhos e registram seu crescimento, bem como momentos de lazer, mas raramente os expõe a pessoas desconhecidas.

O medo da pornografia infantil, do abuso sexual, de que algum psicopata descubra o endereço da família e siga a criança pelas ruas são alguns dos motivos de tamanho cuidado. São cuidados que nos parecem demasiados, mas, tendo em conta que aqui na Alemanha as crianças são incentivadas a serem independentes desde muito cedo, indo, por exemplo, sozinhas para a escola já na primeira série, somando-se fato de que a pornografia infantil e o abuso sexual de crianças, que sempre existiu, mas que agora há dados concretos sobre o tema, a preocupação e os cuidados tem fundamento.

A precaução é tanta que, quando você matrícula o seu filho numa creche, jardim de infância ou até mesmo na escola, recebe uma série de documentos a serem assinados pelos pais (por ambos!) permitindo ou não o seu filho de ser fotografado pela instituição escolar, termo de compromisso de não fotografar crianças nos estabelecimentos da escola, além de não divulgar as fotos fornecidas pelos professores em redes sociais.

Já passei por algumas situações em que fui chamada a atenção por fotografar em lugares impróprios, como numa piscina pública (estava fotografando meus filhos, mas havia crianças em volta), ou o meu pai, na ocasião de ter tirado uma foto da minha filha no pátio do jardim de infância e ter outras crianças ao fundo.

Paranóia ou precauções justificadas?

Para nós brasileiros parece, a princípio exagero, porque não cuidamos da nossa privacidade pessoal, ao contrário, expomos nossa vida como um livro aberto nas redes sociais. Exibicionismo ou necessidade de deixar todos a par da nossa vida privada? Por que essa necessidade? Por que temos que compartilhar com nossos “amigos” aquilo que estamos vivendo? Por que não podemos viver nossa felicidade de forma íntima e compartilhar somente com aqueles que nos importam?

Esse curioso fenômeno de exibicionismo criado pelas redes sociais é visto com grande cautela pelos alemães, povo por natureza mais reservado.

A prevenção com a segurança dos filhos faz sentido quando vemos estatísticas que mostram o aumento da pornografia infantil na internet ou intranet e casos, agora públicos, de pedofilia e abuso infantil. Surpreende-me muito que os brasileiros, apesar de toda a violência urbana que há no Brasil, atentem pouco para esses fatos.

Os alemães, por sua vez, são o oposto. Foto de crianças somente para serem mostrada em ambientes restritos e raramente compartilhadas em mídias sociais. Aqui, passados os eufóricos anos juvenis, a necessidade de se expor a sua vida diminui consideravelmente.

Portanto, muito cuidado na hora de fotografar o seu filho no jardim de infância ou lugares públicos, você corre o risco de ser chamado a atenção.

Colônia - Ponte Hohenzollen
Cabelos crespos e cacheados na Alemanha
Larissa da Costa
Larissa da Costa
Autor
Vim para a Alemanha em 2002 aventurar-me em terras desconhecidas e a maior delas tornou-se a maternidade, quando, em 2010 virei mãe de um menino e em 2013 de uma menina. Mantenho um blog próprio chamado brasanha.de aonde narro minhas experiências aqui na Alemanha.

Comentários

Cadastro