Os mil graus de Munique
Coluna Muito Mais Que Cerveja

Os mil graus de Munique

Natália Natália Lima
28 de janeiro de 2018
285
0

Servus!

A primeira pergunta que me fazem quando alguém planeja vir à Munique passear é sobre o tempo: vai estar frio? A resposta não tem só a ver com a tolerância da pessoa à baixas temperaturas, mas também ao nível de otimismo dela.

A beleza de cada estação do ano é impagável e podemos experimentar coisas diferentes, experiências incríveis. No entanto, tudo tem seu lado B e temos de conviver com isso também. O tempo influencia a vivência tanto para aqueles que moram quanto para os que visitam qualquer cidade.

Munique pode ser fria até mesmo com seus 38° em Julho, depende da percepção térmica de cada um. Porém, especificamente aqui, a temperatura sozinha não determina o clima e outros fatores – tais como vento e umidade – jogam junto de verdade na sensação térmica. Vamos tentar, então, interpretar os graus de Munique.

Vento

Nota-se que com o passar dos anos têm ocorrido mais casos de furacões e desastres provocados pelo vento na Alemanha. Por sua posição mais ao sul, Munique recebe fortes ventos, mas em intensidade de ventania ou tempestade (quer dizer, com potência menor). 

Ventos a partir de 50 km/h começam a representar dificuldades e para quem ficou curioso, é só olhar a tabela abaixo. A Escala de Beaufort classifica a intensidade dos ventos e é a utilizada pelos sites mais populares (Yahoo, Accuweather, Climatempo, YR). Munique é muito arborizada e em dia de ventos mais intensos – e em seu dia seguinte – é bom ficar atento a galhos e ramos.

escala_beaufort

Devido aos sustos e desastres recentes na Alemanha, isso tornou-se tema de muitas conversas. Mas, o que significa vento em um dia de sol, no verão? Aí chegamos exatamente no que falei mais acima – o otimismo.

O sol brilhando, céu com poucas nuvens, você sai de casa e... bam! Uma brisa fria faz você se arrepender de ter saído de short e camiseta. Calma, não desista assim tão fácil. Apenas evite lugares à sombra para manter-se sempre aquecido pelo sol (que é fortíssimo).

Isso é mais importante para quem está viajando ou de passagem – um casaquinho leve na mala nunca é demais se você vem a Munique. Também porque para quem mora aqui, os dias de sol são tão esperados que esses ventinhos não são quase notados.

Calor

O sol é Munique é muito forte, mesmo no inverno. Sua contribuição para um lindo dia de neve do ponto de vista da paisagem é inquestionável de tão belo. Claro que não estará calor lá fora, mas a atmosfera é outra. Todos ficam mais felizes e dispostos. Aliás é incrível observar o efeito do sol no humor das pessoas, mas isso é papo para outro post. 

Já dentro de casa é quente, mesmo sem aquecedor. Dica prática: equilibre sua roupa caso vá visitar alguém ou ficar dentro de um restaurante, por exemplo. Para não ficar desprotegido, nem menos transpirar demais opte por vestir-se em camadas (a tal da cebola).

Com 10° graus adultos já podem arriscar um tênis e abrir mão do gorro. Crianças são mais sensíveis. À essa temperatura alguns condomínios desligam o sistema de aquecimento, se contar com isso, é bom ficar atento.

Quando a temperatura chega a 18° graus temos uma situação, digamos, polêmica. Se estamos saindo do inverno, todo mundo farto de usar casaco, bota, cachecol... é uma festa! Se no entanto é Junho e ela cai para 19°, uma catástrofe. Sobre o que vestir, esse é o momento mais fácil – sapatilha, bota de verão, jeans, meia calca fio 20, mas sempre uma jaqueta afinal, é Munique.

Acima de 29° já é ideal para nadar sem sentir frio. Vamos aproveitar!

Chuva

A chuva em Munique tem o mesmo DNA a qualquer época do ano – é gelada. Mas, em dias de calor não há nada mais conveniente para resfriar um pouco o chão, os bancos, os parquinhos e as bicicletas (!).

O seu papel na sensação térmica é bem claro, em dias de chuva sentimos mais frio. Vale ficar atento, no entanto, para as consequências trazidas pela chuva nas outras estacoes do ano.

Chuva em Munique

Tanto na primavera quanto no outono, a chuva mistura-se às folhas e flores, criando uma espécie de gosma. Essa cobertura deixa ruas e passeios escorregadios. Redobre a atenção. Debaixo dos sapatos, depois de secas, fazem uma certa sujeira. Aqui ajuda muito hábito alemão de não entrar calcado em casa, de maneira a evitar mais bagunça.

Já no inverno, a água da chuva contribui com a formação de gelo pelas ruas, estradas e calcadas, deixando-as também escorregadias. É preciso redobrar a atenção e evitar correr (inclusive pedestres). É necessário também reservar uns minutos a mais para descongelar o carro e limpar os vidros.

Todo motorista é obrigado a fornecer visibilidade suficiente ao dirigir o veículo. Isso significa que a remoção superficial de gelo e neve não é suficiente, tudo deve ser completamente liberado: pára-brisa, janelas, telhado e placas. Essas últimas também merecem atenção, pois não devem estar cobertas, poluídas, deformadas ou danificadas, impossibilitadas de iluminarem-se no escuro.

A multa pode chegar em até 5.000 euros, acumulada a outras penas, a depender do dano causado.

Grüße aus München!

Controlando os Heizkosten : Como transformar calor em ouro
Kölnisch Wasser 4711
Natália Lima
Natália Lima
Autor
Sou brasileira, mãe, mulher, advogada e inquieta. Moro em Munique há três anos e venho me conhecendo cada vez mais desde então. Adoro conversar, ouvir, trocar, acolher, ser acolhida... e talvez esteja chegando perto de descobrir algo que ainda não sei o que é.

Comentários

Cadastro Login
Login com rede social
ou
Esqueceu a senha?
Cadastro Login
Login com rede social
ou
Uma confirmação será enviada por email
Cadastro Login
Cadastro